close

Investimentos

Investimentos

4 mitos sobre investimentos para esquecer de uma vez por todas

É muito provável que você já tenha ouvido alguém conhecido falando, ou até mesmo pensando, que investir não é para ninguém. A boa notícia é que hoje você verá que alguns mitos ainda bastante difundidos apenas ajudam a manter as pessoas longe de seus sonhos.

Pense só: quando não se conhece bem uma coisa, sempre ficamos um pé para trás e às vezes nem sequer abrimos a cabeça para entender como ele realmente funciona. E quando a questão é dinheiro, é aí que as pessoas fogem do desconhecido com medo de verem tudo pelo ralo.

É claro que as pessoas precisam ter cuidado quando exploram terrenos desconhecidos, mas não vale a pena deixar uma boa oportunidade para passar pela falta de informação.

Que tal ver alguns sentidos comuns que ainda atrapalham a vida financeira de muitas pessoas e aprender como você pode deixar de lado o medo louco de começar a investir?

1) Você precisa ter muito dinheiro para começar a investir

É praticamente um clássico? Quando se fala em investimento, muitas pessoas já imaginam um homem cinza de terno e gravata e com muito dinheiro no banco. Essa ideia ainda está muito presente no imaginário coletivo, mas a realidade mudou gradualmente (mesmo assim!).

Hoje em dia, há cada vez mais jovens, mulheres e pessoas de classes mais baixas investindo também. Chegamos ao cenário ideal? Ainda não, mas pelo menos atinge a felicidade de ver que o mercado de investimentos não é mais exclusivo dos milionários. E tudo isso graças ao maior acesso a informações sobre esse assunto e também à facilidade de acesso a vários produtos financeiros.

2) Salvar é sempre uma boa ideia

Esse mito também é difundido, especialmente no Brasil. O número de pessoas que usam a caderneta é muito alto. E não há nada errado com isso, de uma maneira geral. Isso indica, pelo menos, que muitos brasileiros têm a preocupação de fazer um pé médio.

No entanto, se você está pensando em garantir um futuro tranquilo, a economia pode não ser a melhor opção. Ela é ainda segura, prática e bastante democrática. Mas certamente não é a maneira mais eficaz de fazer o seu dinheiro fazer mais.

A rentabilidade da poupança é muito baixa em comparação com outras opções. Mesmo aqueles tipos de investimento que pagam Imposto de Renda podem trazer melhores resultados do que a caderneta. É por isso que a pista permanece: abra sua cabeça para outras oportunidades.

3) Ter bons resultados no mercado de ações depende da sorte

Ixi, nos deparamos com um assunto que é ainda mais controverso. Quando a questão é Bolsa de Valores, há pessoas que chegam perto. Mas olha, o mercado de ações não é esse pesadelo que muitas pessoas pensam que não.

Claro, esse é um ambiente que oferece mais riscos, mas em troca pode trazer maiores retornos. E isso não tem nada a ver com sorte, amuleto, energia, superstição e coisas do gênero. Tem a ver com estratégia.

É possível investir com mais segurança no próprio mercado de ações, e é por isso que a estratégia existe. Será que ele achava que era só pelo dinheiro e esperar que o universo cuidasse do resto?

Não é assim. Você tem que ter cuidado, observar o movimento do mercado, fazer boas análises e tomar uma decisão baseada em dados. No final, "achismo" não é combinado com a Bolsa de Valores.

4) É necessário ter diploma em Economia

Acabei de falar de um monte de requisitos importantes para ter segurança investindo no mercado de ações, certo? Nesse caso, você pode ter mantido o pé atrás de pensar que o investimento de sucesso requer um conhecimento super especializado no assunto.

Bem, se você quiser viver no mercado de ações ou trabalhar no mercado financeiro, ter uma classificação é essencial. Mas se você pretende valorizar seu dinheiro fazendo bons investimentos, você não precisa necessariamente ter um diploma em Economia.

Hoje em dia, é possível aprender sobre investimentos sem sair de casa. Há muita informação boa na internet, você só precisa tomar cuidado para procurar fontes confiáveis ​​e quem realmente entende o assunto. Você viu algo que promete resultados absurdos em um tempo muito curto? Tenha cuidado!

Você viu apenas como às vezes se reproduzem super discursos fora da realidade? O investimento é para todos, sim, a diferença estará em suas escolhas em relação às de outras pessoas. Seu perfil e seus objetivos é que eles irão guiá-lo para decidir onde aplicar seu dinheiro.

O mais importante é parar de pensar que o investimento é só para quem tem muito dinheiro, profundo conhecimento e tempo para cuidar das aplicações durante todo o dia. Fuja desses mitos!

leia mais
Investimentos

8 taxas que você precisa saber antes de investir

Muitas pessoas pensam que o investimento é reduzido a apenas tomar uma quantia em dinheiro, jogando no colo de um gerente de banco e esperando que eles retornem à conta pelo menos um pouco maior do que antes. Só não é assim.

Na prática, o investimento exige mais alguns passos, mas isso não indica necessariamente que seja mais difícil. Uma questão que muitas pessoas ignoram e depois têm uma surpresa muito desagradável, é em relação aos custos e taxas para investir.

Você conhece a máxima de que não há almoço grátis? Bem, podemos ver isso acontecendo na prática no mercado financeiro também. Mas não se desespere e decida que, a partir de agora, você só deixará seu dinheiro reservado na poupança.

Lembre-se que todo mundo está acertando a chave que os interesses de poupança são ruins? Bem, em muitos casos, mesmo pagando impostos e taxas, o retorno de alguns investimentos pode ser maior que o do notebook. Bora saberia melhor cada um desses custos?

1) taxa de custódia

A B3, nossa bolsa de valores brasileira e que até recentemente se chamava BM & F Bovespa, é responsável pela cobrança dessa taxa. E por que ela faz essa acusação? Para cobrir os custos de salvar os títulos e informações e os movimentos de cada conta.

Esta taxa é a mesma para todos, corretores e bancos, e é cobrada a cada semestre, nos primeiros dias úteis de janeiro e julho. Tesoureiro direto, ações e contratos futuros são alguns dos investimentos que podem pagar a custódia. A boa notícia é que algumas instituições financeiras isentam o investidor dessa taxa, absorvendo o custo para si e deixando o bolso daqueles que investem um pouco mais.

2) taxa de administração

Pense apenas: o receptor de um edifício é geralmente remunerado ou, pelo menos, tem um desconto na taxa de condomínio por causa de seus serviços, não é? A taxa de administração funciona mais ou menos assim, uma vez que é cobrada para pagar os serviços de uma corretora ou banco na gestão de um investimento.

É muito comum em fundos mútuos, já que nesses casos há um gerente que é responsável pela administração e desempenho do fundo. Então, nada mais justo do que pagar por isso, certo? Bem, nem sempre. É que algumas instituições podem cobrar valores muito altos pelo serviço, o que pode prejudicar (e muito!) Os retornos que vêm no bolso dos investidores.

Deve ser lembrado que a taxa de administração não é exclusiva dos fundos de investimento. Quem investe em CDB, LCI, LCA e no Tesouro Direto, especialmente, também pode ter que pagar com esse custo. Por essa razão, uma boa ideia é procurar instituições financeiras com taxa zero nesse aspecto.

3) Taxa de retorno

Outra taxa que geralmente aparece em fundos mútuos e é cobrada como forma de recompensar o desempenho alcançado pelo gerente. Ou seja, é como se o investidor pagasse um bônus à administração do fundo quando o investimento rendesse acima do esperado.

Apesar de ser um bom incentivo para o gestor dar o seu melhor e obter excelentes retornos para o fundo, por outro lado esse incentivo deve ser visto com cautela. No final, para aumentar a renda pode ser necessário arriscar mais, e aí as chances de ter prejuízos para o fundo também aumentam.

4) Taxa de corretagem

Este é um grande conhecido que investe na Bolsa de Valores. O valor cobrado pode ser uma taxa fixa no final do mês ou taxas que afetam cada ordem de compra e venda, por exemplo. Eles também podem variar de corretagem para corretagem porque alguns preferem cobrar valores fixos e outros geralmente cobram porcentagens sobre o valor negociado.

Então, a principal pista aqui é: pesquise bem entre as opções de seu interesse para encontrar uma instituição financeira que ofereça um bom serviço sem cobrar um valor abusivo por ela. Afinal de contas, é inútil usar um aplicativo de última geração, se a cada compra de ações que você fizer, seu bolso sofrerá por isso.

5) taxa de carga

Esta taxa é muito comum em aplicações de previdência privada e fundos de investimento. É uma porcentagem cobrada sobre o valor de cada pedido feito. Você já percebeu o problema aqui?

Isso significa que, sempre que houver mais dinheiro nesse investimento, você paga uma porcentagem. Em alguns casos, a taxa também é cobrada quando a portabilidade é feita (por exemplo, quando você altera seu plano de pensão privada para outro banco) ou o resgate do valor aplicado.

6) Emolumentos

É uma taxa cobrada pelo próprio B3, por cada operação de compra e venda de ativos. A coleta é feita através de uma porcentagem do valor negociado.

A taxa de emolumentos pode variar de acordo com o tipo de operação (se durou menos que ou mais de um dia), o tipo de ativo (se é ação ou contrato futuro), o tipo de investidor (se é um indivíduo ou fundos e clubes de investimento) eo valor investido.

7) Imposto de renda

Algumas modalidades de investimento estão isentas para Pessoa Física, como a famosa poupança e as Cartas de Crédito Imobiliário ou Agronegócio (LCI e LCA). No entanto, a isenção nem sempre é sinônimo de melhores resultados.

Em alguns casos, mesmo pagando IR, um investimento pode pagar mais do que um aplicativo isento. É por isso que é tão importante colocar tudo no papel. Alguns investimentos de renda fixa que pagam IR são o Tesouro Direto e a CBD. Nestes casos, as alíquotas são regressivas. Ou seja, se você resgatar o dinheiro com menos de 180 dias, pagará mais impostos do que se deixar o dinheiro que pagar por mais de 720 dias.

No caso de investimento em ações, o cálculo do IR é diferente. Existe isenção para Pessoa Física se o volume de vendas no mês for inferior a R $ 20 mil. Se o volume for superior a R $ 20 mil, por outro lado, será necessário pagar 15% do lucro líquido até o último dia útil do mês seguinte.

Para operações de Day Trade (que começam e terminam no mesmo dia) e contratos futuros, é necessário declarar o IR mensalmente, independentemente do valor negociado, e pagar 20% sobre o benefício. A boa notícia é que a Receita Federal nos permite descontar eventuais danos. Ou seja, se você fechar um mês com resultados negativos, esse valor poderá ser deduzido do benefício do mês seguinte.

8) IOF

Outro imposto que pode ter impacto em alguns tipos de investimento é o Imposto sobre Operações Financeiras. No entanto, você só deve pagar quando o investimento for resgatado com menos de 30 dias.

Ou seja, se você investiu hoje no Tesouro Direto e, por alguma razão de emergência, precisou recuperar o dinheiro antes de 30 dias, terá que pagar uma porcentagem do IOF. Esse percentual varia de acordo com o número de dias que a aplicação durou, sendo que quanto menor a duração do investimento, maior o percentual a ser pago.

É por isso que é tão importante investir seguindo um plano. Portanto, não há risco de pagar mais taxas do que o necessário. Mas você não precisa se preocupar, porque após 30 dias, sua inscrição estará isenta de IOF. Além do Tesouro Direto, essa taxa refere-se a Certificados de Depósito Bancário, Letras de Câmbio e alguns fundos de investimento.

Depois de ler isso tudo foi desencorajado de investir? Não é assim. Este artigo foi feito para alertar as pessoas que estão sendo descobertas e para evitar que você tome um susto com a declaração do seu investimento.

E você sabe o que é melhor? Com a crescente democratização dos investimentos no Brasil, corretores e bancos estão baixando custos e oferecendo vantagens legais para que você possa começar a investir.

leia mais
Investimentos

Como investir seu décimo terceiro e fazer o seu dinheiro?

No caso de um acidente, esse dinheiro vem a calhar em um momento em que muitas pessoas tentam equilibrar contas no meio de compras de Natal e viagens de férias.

Mas também há aqueles que já prepararam e conseguiram arrecadar dinheiro para agraciar quem mais gosta com presentes de Natal ou já está com os ingressos comprados para aproveitar o final do ano em algum lugar legal. E então, o que fazer com o 13º nesses casos?

A resposta é simples: invista. Muitas pessoas não consideram essa opção porque pensam que o dinheiro será “parado” e não trará nada de bom. No entanto, o que pode acontecer é exatamente o oposto. Esse dinheiro pode se tornar a chave para conquistar o seu sonho que hoje parece inatingível.

Você tem interesse em saber como investir seu 13º salário? Vem comigo que eu te digo agora algumas opções bacanas para você considerar ao aplicar seu dinheiro rico:

Tesouro Direto

Este é considerado o primeiro passo para aqueles que querem deixar a poupança e ver melhores retornos para seu dinheiro. No final, mesmo pagando Imposto de Renda sobre os lucros, o Tesouro Direto pode oferecer retornos muito maiores do que o notebook.

Vale lembrar que existem títulos com retornos diferentes, cada um com suas vantagens e indicações. Então, é legal tentar entender um pouco melhor sobre cada um deles, a fim de escolher aquele que melhor se adapte às suas expectativas.

Certificado de Depósito Bancário

O famoso CBD é um título privado, emitido pelos bancos. É como se o investidor emprestasse dinheiro a um banco e, na data combinada, recebesse de volta o valor investido mais os juros pagos no período.

O mais legal é que, além de ser capaz de trazer bons resultados legais para o seu dinheiro, o CDB é muito seguro porque é segurado pelo FGC – Guaranteed Credit Fund. É essa instituição que garante o retorno do seu dinheiro, se o banco declarar falência, por exemplo. Apenas preste atenção porque o FGC tem um limite de quanto dinheiro ele garante para cada investidor, ok?

Títulos de crédito

Existem dois tipos bem conhecidos de cartas de crédito: o LCA e o LCI. O primeiro está ligado ao agronegócio e o segundo ao setor imobiliário. Em outras palavras, a aquisição desses títulos ajuda, de certa forma, a estimular o desenvolvimento desses setores.

Eles também são bastante populares porque também são garantidos pelo FGC e ainda estão isentos do Imposto de Renda. Mas o alerta permanece para você fazer as contas antes de escolher onde vai investir o seu 13º, pois a isenção de IR não deve ser o único critério a ser considerado na sua escolha.

Fundos de inversão

Aqueles que começam a investir também costumam procurar por essa opção. Os fundos podem ter configurações variadas: há aqueles que se concentram em renda fixa, outros apenas em ações e até mesmo aqueles que fazem um mix de títulos de renda fixa com renda variável.

Com tantas possibilidades, vale a pena olhar com cuidado para encontrar uma alternativa que realmente ajude seu dinheiro a ter o desempenho que você deseja e de acordo com suas perspectivas futuras. Esta pesquisa, além disso, pode ajudá-lo a evitar armadilhas de fundos que cobram taxas administrativas abusivas.

ações

Você acha que investir na Bolsa de Valores era algo para quem tem muito dinheiro? Nada disso. E no caso de um acidente. Naturalmente, quanto maior o capital aplicado, maiores os retornos possíveis. Só isso não significa que você deve desistir de investir na Bolsa de Valores em breve no rosto.

Você pode, por exemplo, começar a investir menos dinheiro e aumentar gradualmente esse valor, seguindo uma sólida estratégia de investimento. Com isso, você pode gradualmente alcançar melhores resultados, ganhando mais confiança no que está fazendo.

Você já viu apenas como existem várias opções para investir seu 13º e, com isso, estar mais perto de conquistar tudo o que eu sempre quis? Claro, não vou dizer que os resultados serão milionários e instantâneos. Na verdade, sempre duvide quem promete retornos astronômicos em pouco tempo.

Mas, como você já deve ter aprendido nessa vida, com persistência, foco e força de vontade, você consegue atingir muitos objetivos que criou para você e para quem mais ama. O importante é começar. A partir daí, cada passo que você dá valerá muito mais tarde.

leia mais
Investimentos

Onde investir com 100 reais?

Já era a época em que as pessoas tinham dificuldades para investir ou até mesmo encontrar informações sobre investimentos. Isso porque, com a democratização e a expansão da Internet, é cada vez mais fácil aprender sobre as melhores maneiras de economizar, economizar e investir dinheiro e fazer aplicativos on-line de qualquer lugar do mundo.

Apesar disso, é comum encontrar pessoas que acreditam que você tem que ter muito dinheiro disponível para fazer as primeiras contribuições. Se este é o seu caso, saiba que isso não é verdade!

Atualmente, é possível começar a investir com pouco dinheiro e acumular um bom dinheiro ao longo do tempo sem a necessidade de aumentar o portfólio para isso. Mas, exatamente onde investir com 100 reais ou menos?

Continue lendo o artigo de hoje e descubra!

Agora que você sabe que não é necessário ter muito dinheiro para investir, é hora de descobrir onde investir com 100 reais e ter seu dinheiro ganho. Nos dias atuais, existe uma ampla gama de produtos de investimento que podem ser escolhidos para contribuições de pequenos investidores e poupadores.

Se 100 reais parecem muito para você, saiba que também é possível investir com ainda menos – a partir de 30 reais, por exemplo. Aqui estão algumas opções de investimento para quem quer começar a investir agora, mas não tem muito a aplicar:

Tesouro Direto

A plataforma do Tesouro Direto é uma das modalidades de investimento mais conhecidas entre os investidores brasileiros. Desta plataforma, é possível investir em títulos do Tesouro (títulos públicos) com 30 reais, escolhendo entre diferentes opções de títulos e vencimentos.

Você também pode optar por investir valores diferentes ao longo do tempo. Por exemplo, imagine que, em um determinado mês, você tem 100 reais para investir e, no mês seguinte, você tem mais de 200 reais para contribuições.

No entanto, se no terceiro mês você tem apenas 40 reais para aplicar, você não tem problema! Você só tem que escolher esses títulos de renda fixa cujos valores caem no seu bolso e fazer o seu investimento.

É importante notar que, no caso de investimentos no Tesouro Direto, há uma data de vencimento que precisa ser respeitada para o resgate do dinheiro aplicado. Portanto, se seu objetivo é usar o dinheiro contribuído antes do vencimento do pedido, o ideal é buscar outras opções de investimento com maior liquidez.

Investimento em ações

Investir em ações tem sido a escolha de muitos investidores que querem se expor mais ao risco em busca de melhores retornos. Mas você sabia que é totalmente possível investir em ações com 100 reais?

O mercado brasileiro tem centenas de empresas listadas na bolsa de valores, já que grande parte delas permite ao investidor comprar ações com apenas 100 reais. Existem empresas ainda menores que vendem suas ações por R $ 1,00 ou menos no mercado de ações!

Se o seu objetivo é começar a contribuir em ações, você já sabe onde investir com 100 reais.

Aqui, no entanto, vale a pena uma observação: lembre-se sempre que o mercado de ações é muito mais arriscado do que a renda fixa, por exemplo. Portanto, os investidores devem sempre estudar as melhores oportunidades para investir antes de fazer seus pedidos e sempre estar ciente de que é possível perder dinheiro neste tipo de investimento.

Fundos de ações

Para quem não sabe investir em ações ou não tem tempo para conhecer e buscar as melhores empresas para investir no mercado de ações, uma boa opção para investir com 100 reais é o fundo de ações. Os fundos de ações são fundos que fazem contribuições para ações, que são definidos de acordo com a estratégia seguida por esse fundo e de acordo com as decisões do gestor – responsável por escolher as melhores opções de investimento.

Esse tipo de investimento permite ao investidor diversificar sua carteira de investimentos com apenas uma aplicação e investir, muitas vezes, com apenas 100 reais. Para participar do fundo, o interessado adquire alturas e recebe seu retorno, que é variável, de acordo com o número de ações que possui.

Fundos de Tesouro Selic

Os fundos do Tesouro da Selic também são uma ótima alternativa para pequenos investidores. Eles têm alta liquidez e geralmente permitem que o investidor retire o valor aplicado em poucas horas, se necessário – como uma emergência, por exemplo.

Além disso, o investimento em fundos do Tesouro Selic pode muitas vezes sair mais barato do que investir diretamente em títulos do Tesouro pela plataforma do Tesouro Direto. No entanto, em geral, as instituições financeiras exigem uma aplicação inicial de 500 reais para esse tipo de investimento.

Se você não sabe onde investir com 100 reais e pode esperar algum tempo para fazer sua primeira contribuição, no entanto, pode valer a pena coletar os 500 reais para fazer a aplicação inicial em um fundo Tesico Selic – como o fundo do BTG Pactual e XP Investments, voltado para quem deseja investir pouco. Isso porque, após a primeira aplicação, as contribuições mínimas se tornam apenas 100 reais em muitos desses fundos.

Você já percebeu quantas opções de investimento existem para quem tem apenas 100 reais para investir?

Agora que você sabe onde investir com 100 reais, você pode estar se perguntando: mas vale a pena investir pouco dinheiro? Sem dúvidas!

Começar a investir – não importa o valor – é sempre o primeiro passo para acumular riqueza e ter uma vida financeira mais tranquila no futuro. E todas as contribuições fazem a diferença a longo prazo!

Se você começar a investir 100 reais por mês, pode descobrir que o montante acumulado em um ano não fará muita diferença para você, mas acredite: no longo prazo, essas pequenas contribuições podem se tornar uma quantidade impressionante de dinheiro acumulado – principalmente devido à incidência de interesses compostos que, neste caso, trabalham a seu favor para aumentar seu capital investido.

E é precisamente por isso que é tão necessário poupar dinheiro e investir com frequência. Mantendo este bom hábito de investir seu dinheiro – embora pouco por mês, você será capaz de reunir dinheiro ao longo dos anos e viabilizar vários objetivos financeiros, que podem até mesmo parecer muito distantes para você hoje.

Compre um carro novo, compre um imóvel, faça as viagens dos sonhos. Tudo isso pode ser conseguido se você souber onde investir com 100 reais por mês e fazer suas aplicações – aumentando a contribuição de acordo com suas possibilidades, ao longo do tempo.

Se você ainda não investe, este pode ser o momento certo para começar a aplicar seu dinheiro e dar seus primeiros passos para conquistar a independência financeira e quem sabe, no futuro, até mesmo viver do aluguel!

E aí, você gostou do artigo de hoje? Você ainda tem dúvidas sobre o assunto? Deixe seu comentário aqui no post!

leia mais
Investimentos

E se você pagar apenas 70% do seu salário?

O que você faria se pagasse apenas 70% do seu salário? Imaginem essa hipótese e um resfriado na espinha, certo? Essa diferença certamente seria muito necessária no orçamento e provavelmente levaria você para o final do mês em vermelho.

Agora imagine que você economiza uma certa quantia a cada mês para um determinado propósito, seja uma viagem, compra um bem ou acumula um valor para usar quando se aposentar em alguns anos, e esse esforço de poupança só rende 70% do que você poderia pagar . É a mesma idéia de redução salarial, só que agora estamos falando de uma rentabilidade abaixo da média para o seu dinheiro economizado, dinheiro que é o resultado do seu esforço, que custou seu tempo e mereceu o melhor destino possível.

Bem, lamento informá-lo, mas este segundo caso é exatamente o que acontece quando você deixa seu dinheiro na poupança!

Você deve se perguntar por que, “então a poupança, um investimento tão tradicional, quão ruim o negócio pode ser assim”? Antes de responder a esta pergunta, vamos falar sobre o índice de referência usado para investimentos, o CDI (certificado de depósito interbancário). É um dos principais índices do mercado, resultante das operações diárias de crédito realizadas entre bancos para fechamento de caixa e utiliza como referência a taxa Selic diária, portanto, podemos dizer que o CDI é um espelho da Selic e acaba sendo utilizado como indexador de várias modalidades de investimento.

No caso de a taxa básica de juros ser igual ou inferior a 8,5%, a remuneração da poupança será equivalente a 70% desse valor, acrescida da Taxa Referencial (que não aumenta muito essa rentabilidade). E como o CDI é um espelho da Selic, podemos dizer que atualmente a poupança rende apenas 70% do CDI, o que é muito pouco!

Não é difícil encontrar opções de aplicação de baixo risco (semelhante ao nível de risco de poupança) que rendam 100% do CDI ou mesmo um pouco mais. Essa diferença na renda se torna ainda mais evidente quando pensamos em prazos mais longos.

Após essa análise do ponto de vista da lucratividade, é fácil entender por que a poupança é um mau negócio. Uma questão que pode surgir em defesa disso é o fato de ter liquidez, “as poupanças rendem pouco, mas eu tenho acesso fácil ao dinheiro”. Sem dúvida, a economia pode ser facilmente acessível, mas há alternativas de investimento com maior liquidez e ainda render mais do que ela.

Neste caso, como alternativa, temos Fundos DI por exemplo, ideal para quem quer ter uma reserva de emergência mas quer fugir da baixa rentabilidade da poupança. Esses fundos podem ser acessados ​​através de corretores ou de seu próprio banco, acompanham o CDI, investem em títulos de baixo risco e fornecem liquidez diária!

Para investir melhor, é essencial informar-se, procurar alternativas melhores e garantir um destino melhor para o seu dinheiro!

leia mais
Investimentos

Investimento com pouco dinheiro

Uma das grandes desculpas para as pessoas não pouparem é que, para ganhar com investimentos, você precisa de muito dinheiro. Mas isso é uma lenda e eu quero provar isso. Mas antes de falar sobre teoria e números, gostaria de citar a história de Warren Buffet, que hoje é um dos homens mais ricos do mundo, com patrimônio estimado em 84 bilhões de dólares.

Warren Buffet, nosso exemplo prático

Como a maioria das pessoas, Warren não herdou uma grande fortuna e não iniciou uma empresa que lançou um produto revolucionário, como Bill Gates (Microsoft) e Mark Zuckerberg (Facebook). Pelo contrário, ele começou como a maioria de nós, trabalhando duro e economizando o máximo que pôde. Em sua pré-adolescência, ela começou a trabalhar com vendas de porta em porta e entrega de jornais, e aos 11 anos fez seu primeiro investimento, comprou 3 ações da Cities Services Preferred, uma empresa de petróleo e gás dos EUA, por US $ 38,00. um total de $ 114.

Desta forma, a questão permanece: se Warren começou no mundo dos investimentos com pouco mais de US $ 100 e era multimilionário, por que você não pode começar com 100 reais?

Como muitos sabem, o menor valor para investir no Tesouro Direto hoje é de aproximadamente 35 reais, e há ações de grandes empresas como as lojas Grendene, Tim e Renner que custam menos de 30 reais. Mas sempre há a dúvida: fazer investimentos de 100 reais por mês compensa os custos com transferências, corretagem e custódia?

A matemática por trás

Para provar isso, vamos supor que todos os custos para investir são 20 reais por mês, o que é um custo alto para a realidade atual dos bancos e corretoras digitais. E que você vai fazer uma contribuição mensal de 100 reais, assim os custos representam 20% da contribuição. Apesar desse custo elevado, em uma visão de longo prazo (30 anos), contribuindo para um investimento seguro que rende 6% ao ano, ao final do período você terá economizado 30 mil reais e o investimento terá rendido cerca de 50 mil real, adicionará um patrimônio de aproximadamente 80 mil reais. Isso já descontando os R $ 7.200 gastos com transferência, corretagem e custódia. E isso só acontece com base no poder dos interesses compostos.

Obviamente não é o melhor cenário dentro dos investimentos, mas entendo que é melhor ter os 80 mil em investimentos do que parar de investir porque alguém disse que para isso você precisa de muito dinheiro. Voltando ao exemplo de Warren, ele não estava satisfeito em economizar apenas US $ 100 por mês, então ele sempre procurou trabalhar mais e gastar menos para aumentar as contribuições para o investimento.

em conclusão

Procure sempre economizar e investir todos os meses, independentemente do valor, pois através dessa prática você criará uma cultura de economia e investimento. Também é importante buscar meios para aumentar a contribuição mensal, através do crescimento da renda ou da redução de despesas. Desta forma você estará construindo uma herança e garantindo saúde financeira a longo prazo.

leia mais